Dicas de marketing para promover empréstimos pessoais (Foto de bongkarn thanyakij no Pexels)

Dicas de marketing para promover empréstimos pessoais

Se você está no ramo de vendas de produtos ou serviços caros, sem dúvida oferece crédito pessoal de qualidade, mas o está aproveitando para atrair mais clientes e fechar mais vendas?

No mundo de hoje, os clientes estão acostumados a ter opções de financiamento para compras de alto valor e a concorrência entre os fornecedores é acirrada. Para conquistar clientes, seu marketing financeiro e promoção precisam estar alinhados.

Então, o que isso significa? Em poucas palavras, ele precisa ser claramente visível em vários espaços e totalmente integrado em todos os aspectos do seu processo de vendas.

Parece complicado? Não se preocupe, há muitas coisas que você pode fazer, agora, hoje, para começar a alavancar suas soluções de financiamento ao consumidor para atrair mais clientes.

Portanto, fique atento, pois reunimos uma lista de 8 coisas facilmente acionáveis que você pode fazer para maximizar a conscientização e o envolvimento do cliente com suas opções de compra financiadas.

Tentando comercializar um negócio de empréstimos pessoais? É um mercado lotado, mas com dedicação e persistência, um ótimo marketing pode ajudar sua empresa a superar os concorrentes maiores.

Para cada vencedor de negócios de empréstimos pessoais, há uma dúzia de outros negócios de empréstimos pessoais que nunca decolaram.

As táticas de marketing estratégico podem ajudar as pequenas empresas de empréstimos pessoais a escalar sua visibilidade junto aos consumidores. A chave é comercializar de forma inteligente por meio da aplicação consistente de conceitos fundamentais de marketing.

Mailings

Faz sentido que as empresas de empréstimos pessoais participem do marketing direto. A mala direta tem a vantagem de entregar mensagens direcionadas a contatos qualificados no segmento de mercado de sua empresa. 

Os fornecedores terceirizados têm a reputação de gerar listas de mala direta precisas que podem ser classificadas para acomodar nichos e subseções do mercado. 

Apesar da despesa inicial adicional, as listas de mala direta premium são um investimento inteligente, pelo menos por sua capacidade de gerar taxas de conversão mais altas.

Certifique-se de ter um bom sinal comercial

Um ótimo sinal é uma ferramenta de marketing 24 horas por dia, 7 dias por semana para sua empresa. 

Embora os negócios de empréstimos pessoais sejam muito diferentes uns dos outros, o conteúdo de assinaturas deve se concentrar em alguns temas comuns da indústria, além dos detalhes do seu negócio. 

Visibilidade, elementos de marca e outras considerações são fatores no design e no tamanho da sinalização comercial de sua operação.

Uma vez que a sinalização para empréstimos pessoais, as empresas devem cumprir uma série de requisitos especiais, evite encobri-la como uma reflexão tardia. 

Esta não é uma decisão para se precipitar. Passe algum tempo pensando nos atributos de um bom sinal comercial para suas necessidades exclusivas antes de comprar um novo sinal.

Cupons

Os consumidores preocupados com o valor respondem às ofertas de desconto e isso torna os cupons um ativo estratégico na publicidade de empresas de empréstimos pessoais. Descontos percentuais, descontos por volume e ofertas de pacotes são tarifas de cupom padrão. 

Em um cenário típico de cupons, as operações comerciais de empréstimos pessoais aproveitam os cupons para atrair os clientes de primeira viagem a fazer o contato inicial com a marca. 

Juntamente com outras técnicas de marketing, um fluxo constante de promoções de cupons legítimos pode incentivar os clientes periódicos a aumentar a frequência de compras de sua empresa.

Dicas sobre como realizar um valuation para o seu negócio (Foto de Emmy E no Pexels)

Dicas sobre como realizar um valuation para o seu negócio

Você conhece essas dicas que diminuirão a avaliação da sua empresa na hora de vendê-la? A maioria dos empresários deve conhecer essas cinco coisas não tão fabulosas, mas não sabe.

No mundo das fusões e aquisições, quando chega a hora de vender sua empresa, você tem uma chance de acertar, principalmente se souber como fazer a valuation para pequenas empresas. 

Tanto na vida quanto nos negócios, o sucesso advém de fazer mais do que funciona e menos do que não funciona. O sucesso no mundo das fusões e aquisições é tão simples. 

Avaliação da empresa de registros financeiros

Nas fusões e aquisições, as primeiras impressões podem causar ou quebrar a avaliação da sua empresa.

Você conhece a maneira mais rápida de criar dúvidas e incertezas na mente de seu futuro comprador?

  • Forneça registros financeiros não confiáveis.
  • O negócio de vender um negócio é um jogo de soma zero.
  • Os compradores esperam e rezam para que você cometa erros.

Todo erro que você cometer no bolso do seu futuro comprador com seu dinheiro suado. Registros financeiros não confiáveis ​​diminuem a avaliação da empresa e podem custar-lhe o negócio.

Do ponto de vista do comprador, se seus registros financeiros estão errados, o que mais está errado? No mundo das fusões e aquisições, sua moeda é a confiança.

Registros financeiros não confiáveis ​​quebram a confiança do comprador e do banqueiro de investimentos.

Se você acha que pode corrigir seus registros financeiros e encontrar outro comprador, pense novamente. Você perdeu a confiança do seu banqueiro de investimentos e precisará encontrar outro.

Se você deseja uma avaliação alta da empresa, seus registros financeiros devem ser irrepreensíveis.

Por melhores que sejam seus contadores, eles dependem das informações que você fornece. Em outras palavras, limpe seu ato, a partir de hoje.

Seu futuro comprador é inteligente e experiente. Seja inteligente e tenha registros financeiros limpos e precisos. Você conhece o próximo fator que reduz a avaliação da sua empresa, na melhor das hipóteses, e pode até custar o negócio na pior?

Por que uma alta dependência de um único cliente cria uma baixa avaliação da empresa

Na economia global de hoje, é comum trabalhar com grandes empresas multinacionais. Em um piscar de olhos, você tem distribuição nacional. Sua empresa vai de zero a herói.

Deseja saber a maneira mais rápida de criar uma baixa avaliação da empresa, na melhor das hipóteses, ou custar o negócio na pior? Sua empresa depende muito de um único cliente.

Dependendo de um único cliente, a maior parte do seu lucro é um desastre esperando para acontecer.

Coloque-se no lugar de seu futuro comprador. O único cliente que gera a maior parte de seus lucros pode estar aqui hoje e amanhã. Avaliação da empresa à parte, contar com um cliente evita uma interrupção no mercado.

Quando se trata de clientes, há força nos números. Quanto mais clientes você tiver, menos confiança terá em um único cliente. Enquanto os clientes vão e vêm, seus lucros e sua longevidade permanecem intactos.

Faça a coisa certa para o seu negócio ao buscar uma alta avaliação da empresa. Garanta que seus lucros não estejam vinculados a um cliente. A dependência do seu negócio em determinadas áreas gerará uma baixa avaliação da empresa.

Como investir em e-commerce?

Como investir em e-commerce?

E-commerce é a abreviação de comércio eletrônico, o ato de comprar e vender produtos e serviços pela Internet. Inclui todas as ações individuais que podemos tomar como garantidas em uma loja:

  • Selecionando o produto
  • Pagando pelo produto (ou recebendo pagamento)
  • Colocar o produto nas mãos do comprador
  • Atendimento ao Cliente
  • E mais

O comércio eletrônico mudou a maneira como os consumidores gastam seu dinheiro e se tornou uma possibilidade de como analisar um fundo de ações. 

Esse novo mundo de compras perturbou todo o setor de varejo, transformando os heróis em zeros (realmente) e elevando alguns provedores, fundados inteiramente sob a promessa do setor, às fileiras das maiores empresas do mundo.

Por que o comércio eletrônico é importante?

O comércio eletrônico está formando uma parcela cada vez maior da imagem de varejo do mundo todo. Enquanto as compras online seguem crescendo, os números do varejo permanecem iguais.

No entanto, mesmo essas estatísticas não contam a história toda, porque o número geral de varejo inclui empresas que naturalmente não se prestam ao comércio eletrônico, como postos de gasolina, concessionárias de carros e fornecedores de materiais de construção.

O ajuste para isso e o comércio eletrônico representariam uma porcentagem muito maior do varejo geral.

Nos mercados em desenvolvimento, que geralmente carecem de serviço fixo, o comércio móvel se torna ainda mais significativo. Na América Latina, por exemplo, as transações móveis cresceram 37% de 2016 a 2017, de acordo com a empresa de marketing online Criteo. 

No Oriente Médio e na África, de acordo com a mesma pesquisa, dois terços de todas as transações de comércio eletrônico foram geradas por meio de um aplicativo ou navegador da web móvel.

Os varejistas que não acomodam compradores móveis podem em breve ser superados por aqueles que o fazem.

Por que o comércio eletrônico é tão popular?

O comércio eletrônico torna mais fácil e mais conveniente do que nunca a compra de bens e serviços. Quando você compra algo online, em vez de ir à loja, economiza tempo e às vezes dinheiro.

O comércio eletrônico é uma tendência cuja hora chegou e apresenta sérias oportunidades para investidores mais experientes.

Alguns de vocês podem pensar no tamanho maciço e no domínio do mercado da Amazon e se preocupar com a falta do barco – mas lembre-se de que ainda há uma grande oportunidade também em todo o mundo. 

Embora não haja garantia de como essas empresas e suas ações irão se comportar no curto prazo, cada uma delas demonstrou sua força – e achamos que demonstraram que têm o necessário para fornecer retornos impressionantes no mercado a longo prazo.

Dessa forma, são diversas medidas que demonstram que alguns dos principais portais de vendas online estão sendo uma ótima fonte de investimento. Com a quarentena, as vendas aumentaram, mostrando o potencial desse negócio.

Por isso, quem se interessa por e-commerce pode querer começar investir nos grandes nomes, procurando os grandes dos setores e também investir no seu próprio negócio online, alcançando maiores vendas assim.

Como criar um negócio de ensino online (foto= internet)

Como criar um negócio de ensino online

Como criar um negócio de ensino online (foto= internet)
Como criar um negócio de ensino online (foto= internet)

No mundo informatizado de hoje, cada dia mais as pessoas têm deixado de lado as formas mais tradicionais do que se entende por “emprego” e “trabalho” utilizando a Plataforma EAD com inúmeras finalidades. Isso se dá também porque a cada dia que passa o mercado é mais dinâmico e exigente quanto às qualidades dos profissionais.

Para aqueles que detêm algum conhecimento e sentem prazer em transmití-lo, tem se mostrado uma grande oportunidade de ganhar dinheiro ministrar aulas online.

Isso realmente funciona

Essa talvez seja a pergunta que você esteja se fazendo agora. Mas, pare e pense: assim como você que está lendo esse artigo, milhões de pessoas estão nesse exato momento na internet! Hoje não se dá mais toda a importância a salas de aula físicas como acontecia no passado.

No nosso país tem crescido de forma exponencial os mercados ligados ao Ensino à Distância (EAD). As pessoas têm percebido que é possível desenvolver o aprendizado dos mais diversos saberes no conforto da própria casa, sem perder em nada a qualidade do que se aprende ou da aula que é dada.

Se você domina alguma área do conhecimento, sabe que ela é relevante, mas não sabe por onde começar, aqui vão algumas dicas para te ajudar:

Motive-se

Isso é válido não só para dar aulas pela internet, mas qualquer coisa em sua vida. A motivação correta é exatamente o que é necessário para dar o pontapé inicial em um rentável e bem sucedido negócio de ensino online. Para te ajudar a encontrar a motivação correta, procure responder a esses questionamentos:

Qual é o meu objetivo? – Você precisa ter bem claro em sua mente porque você irá fazer isso com seu tempo e não fará outra coisa. Essa resposta te ajudará durante todas as etapas do processo

Por que esse objetivo? – Você poderia ganhar dinheiro de outras formas. Defina de forma bem clara para si mesmo e até para outras pessoas porque resolveu fazer isso ensinando.

Como criar um negócio de ensino online (foto= internet)
Como criar um negócio de ensino online (foto= internet)

Planeje

Planejar tem a ver com afiar o machado. Você pode se esforçar muito, mas um machado cego não vai te ajudar a cortar a árvore. Você precisa planejar seu negócio de ensino online sabendo onde você está agora e estabelecendo metas reais e definidas de onde você deseja estar daqui a determinado tempo.

Avalie as possibilidades

Avalie entre as suas habilidades aquela que irá casar com uma necesssidade real, bem como a que pode dar um retorno financeiro compatível com o trabalho que você terá de preparar as aulas que irá dar e todas as demandas que farão parte desse processo, mas sempre tendo em mente que esse trabalho não deve ser algo que pareça cansativo, deve trazer um sentimento de diversão para você.

Pesquise entre as opções de locais onde você pode ensinar à distância qual mais se adequa a seu perfil e qual oferece as melhores condições dentro do tipo de conteúdo que você passará.

Por fim, a dica de ouro é que você deve focar em preparar conteúdo que ajude outras pessoas a s desenvolverem pessoalmente, a serem mais organizadas, produtivas e bem sucedidas. O que você tem a ensinar?

4 coisas que fazem diferença no seu blog

Um blog é atualmente uma grande ferramenta para expandir todos os tipos de negócios e seguramente a forma mais eficiente de comunicação digital com clientes, seja uma empresa  ou um negócio individual.

É com ele que vamos marcar presença no mundo digital, criar visibilidade dos nossos produtos e serviços e gerar autoridade para manter uma audiência fiel, engajada e que se torne, ao seu tempo, clientes.

Blog e site tem finalidades diferentes

Muitas pessoas ainda veem sites e blogs como coisas iguais ou que apenas uma delas é o suficiente. Mas são itens complementares na estratégia digital de um negócio.

O site é a frente de loja, onde todas as condições comerciais devem estar claras, principalmente a apresentação dos produtos e detalhes. É onde seu cliente vai fazer negócio. Pode existir conteúdo de blog nele, mas isso dependerá da complexidade do negócio para que as páginas não fiquem pesadas ou poluídas.

O blog pode ser uma página associada ao site ou independente e visa criar uma relação de afinidade da marca com uma audiência, antes de tudo. É onde você pode produzir artigos, imagens e vídeos de temas relacionados ao seu negócio, mas sem ser comercialmente direto.

Ao formar uma massa de seguidores que vejam autoridade no seu negócio a respeito de assuntos correlatos e se engajem, aumentam as chances de que se tornem clientes no futuro ou recomendem a sua marca.

1 – Criar um plano de negócios

Todo investimento deve partir de um planejamento dos objetivos, os recursos necessários, os prazos e o retorno financeiro desejado – mesmo que este retorno seja gastar pouco com um blog pessoal e ainda sem uma estratégia de monetização.

Dedique um bom tempo a planejar o que seu negócio ou você espera do blog, o que você tem em mãos e vai precisar (capital e recursos) e em quanto tempo você quer atingir determinadas metas – por exemplo, começar a vender em 6 meses e quanto.

2 – Ter um nicho definido

Para quem já está em um negócio, essa etapa está vencida – ou não? Será que as estratégias para o blog estão apontando para o nicho do negócio?

Ou será que a empresa está olhando para o nicho correto? O blog deve ter uma identidade visual, uma linguagem e uma dinâmica que atraiam um público que você quer para o seu negócio – e eventualmente os curiosos que propagam e formam opiniões. Mas um blog é algo que demanda tempo, dinheiro e expectativa demais para apontar pro lado errado.

3 – Escolher o tema

É a hora de criar uma linguagem visual que está de acordo com seu nicho e com as características do seu produto e do seu público-alvo.

Você vai encontrar temas gratuitos e pagos de ótima qualidade, mas atente para que ele seja atraente para o seu público-alvo e leve, pois você tem poucos segundos para que o usuário veja seu blog e resolva ficar,

4 – Criar conteúdos relevantes e de qualidade

Os conteúdos (artigos) são o centro de toda a estratégia para que seu blog alcance o maior público possível e gere bastante tráfego.

É preciso investir em artigos evergreen – atuais ao longo do tempo e podem servir de consulta permanente dos leitores – e que sejam bem estruturados, com uma linguagem adequada ao público-alvo e que cative o leitor, para que ele se interesse pelo tema e outros conteúdos seus – assim construindo a autoridade.

Tenha foco total em SEO

Além da qualidade estrutural dos seus conteúdos, é preciso colocar neles uma série de recursos para fazê-los subir no ranking das consultas dos usuários e aumentar a visibilidade do seu blog.

Uso natural de palavras-chave, títulos e subtítulos, imagens, links para outros artigos e para fora do blog, em páginas com autoridade no seu assunto. Enfim, invista em textos realmente diferenciados. Você pode também contratar um redator que pode produzir com qualidade e rapidez e também orientar sobre os próximos.

 

A tendência do desenvolvimento de softwares

Confira os rumos do mercado que podem gerar uma verdadeira revolução digital

O mundo de hoje depende muito da tecnologia, afinal, a todo momento, estamos recorrendo a programas de computador para facilitar o nosso dia a dia. É muito comum buscarmos aplicativos para situações que vão desde as mais básicas, como uma agenda para anotar compromissos, até as mais complexas, que envolvem programação e afins.

Esse mercado de desenvolvimento de software passa por uma constante revolução. Portanto, é muito importante ter o hábito de se atualizar todos os dias para que não fique por fora do que vem acontecendo, visando buscar, assim, novas oportunidades. Com isso, você oferece diferencial competitivo frente à concorrência, não é mesmo? Com novos conceitos e ferramentas, as possibilidades para os desenvolvedores parecem infinitas. Confira algumas das novas tendências desse ramo:

Inteligência Artificial

O uso da Inteligência Artificial (IA) já não pode ser considerado mais luxo, mas sim uma verdadeira necessidade em diversos setores do mercado, afinal, ela aumenta a eficiência no processamento de dados. Smartphones ou sistemas residenciais mais simples, por exemplo, já costumam ter reconhecimento de voz. Por conta disso, saber lidar com a IA para oferecer softwares que conversem com essas funções é essencial para a otimização dos mesmos.

Machine Learning

Grande parte das empresas ainda faz testes de softwares de forma manual, bloqueando o processo de inovação contínua e impedindo respostas rápidas que o contexto de transformação digital exige. O Machine Learning é fundamental para a integração entre dados estruturados e não estruturados. É um aplicativo inteligente capaz de aprender por conta própria a interagir com as pessoas ao redor. O programa usa métodos estatísticos para ensinar um computador a ler dados. Dessa forma, todo programador que se preze deve buscar ferramentas de desenvolvimento ágil para facilitar a implementação desse tipo de tecnologia em suas soluções.

Computação em Nuvem (Cloud Computing)

A computação em nuvem é muito poderosa pela capacidade de expandir facilmente os recursos para qualquer aplicação sem a compra de mais hardware. Se o HD encheu, você pode ter mais capacidade de armazenamento com seu provedor em apenas um instante. Para a área de desenvolvimento de software, esse é um avanço excepcional, pois diminui bastante os custos, já que a empresa paga apenas pelo que utiliza.

Virtualização

A virtualização possibilita que um conjunto heterogêneo de servidores se torne um único pool de recursos de computação, podendo ser ajustado conforme a necessidade do negócio. Além de diminuir custos e garantir disponibilidade, a virtualização facilita também o trabalho em equipe, já que não se torna mais necessário estar no escritório para acessar e operar as ferramentas de desenvolvimento e testes.

Internet das Coisas

Com o avanço da chamada Internet das Coisas (Internet of Things – IoT), a tradicional área desenvolvimento de softwares se vê diante do desafio de criar aplicações para objetos antes impensáveis para um cidadão comum.  Mesmo com boa parte dos sistemas ainda seguindo a mesma lógica de desenvolvimento do modelo tradicional, preocupações com segurança são cada vez maiores, uma vez que é preciso separar as redes para que os aplicativos sejam mais facilmente monitoráveis e controláveis.

Realidade Virtual

Se você pensa que a Realidade Virtual e Realidade Aumentada (RV e RA) é uma tendência apenas para jogos e aplicativos do gênero, comete um equívoco. A forma como interagimos com o mundo digital vem se transformando graças à RV. A tecnologia pode nos proporcionar uma experiência imersiva quando combinada com plataformas inteligentes, uma situação muito interessante para aumentar as capacidades humanas — tanto no ambiente profissional quanto no entretenimento.

Impressão 3D

As impressoras 3D estão revolucionando o mercado de uma maneira geral. Elas mudaram a forma com que as empresas lidam com seus clientes, visto que engenheiros, designers, desenvolvedores e fabricantes já podem oferecer produtos customizáveis com a tecnologia. O Digital Manufacturing substitui processos manuais, exigindo apenas que os usuários especifiquem aquilo que querem, o que pode beneficiar a todos os tipos de empresários, já que pequenos negócios poderão oferecer uma mercadoria inovadora com um processo de concepção e produção totalmente digital, gerando um custo muito baixo para o investimento inicial.

Já pensou em ganhar dinheiro na internet? Veja essas duas dicas para isso acontecer!

O mundo da Internet está aí, cada vez maior e mais dinâmico, abrangendo todos os segmentos de mercado, até os mais tradicionais, e atraindo pessoas de todas as idades e formações para investir em negócios online.

E é um mundo que anda sempre em alta velocidade, mais gente chegando, oferecendo produtos, fechando vendas, agregando novos modelos de negócios e alavancando vendas.

Tudo isso assusta muitas pessoas, que se perguntam por onde começar? Com tantas possibilidades, qual devo investir?

Você já pensou em ganhar dinheiro na internet? Veja essas 2 dicas pata isso acontecer!

Dicas para quem começa a pensar em ganhar dinheiro na internet!

  1. Pense nos seus conhecimentos. As pessoas querem muito consumir conhecimento e você pode ter autoridade e experiência, duas características que podem garantir o seu sucesso.
  2. Vai vender produtos? Venda o que você acredita. Parece óbvio, mas muita gente prefere vender o que tem saída garantia ou está em alta. Pode ser um grande erro, pois toda a sua comunicação com o cliente precisa transmitir a sua crença no produto.
  3. Desenvolva o Plano de Negócios. De uma multinacional a uma delicatessen, todos deveriam investir em um Plano de Negócios que é o principal instrumento para construção do negócio.
  4. Defina sua estratégia digital. Entenda claramente em que canais o seu produto será bem entendido pela audiência. Não é preciso estar em todos os lugares – por exemplo, estar em todas as redes sociais. A superexposição pode ser prejudicial, além do custo e do tempo desperdiçados.

1 – Consultoria Online

Existem muitas pessoas que querem consumir conhecimento. Mas também temos um mercado potencial de quem quer ver seus problemas resolvidos – e pagar por isso.

E aqui o céu é o limite. A cada dia, mais empresas buscam apoio para reduzir seus custos administrativos e operacionais, melhorar o planejamento tributário, otimizar processos, melhorar o atendimento ao cliente.

Profissionais liberais procuram consultorias para melhorar seus negócios, para organização pessoal e financeira e até para planejar seus investimentos. Podemos imaginar o tamanho deste mercado, o preço e movido por boas recomendações.

Se você tem autoridade e/ou experiência em um assunto, é a sua chance. E com uma grande vantagem: você pode trabalhar em home office. É um modelo de negócio promissor, com ticket médio alto e um custo operacional baixo.

2 – Blogueiro de Nicho

Este é um modelo de negócio muito interessante e que tende a um crescimento constante nos próximos anos.

É o caso de investir em um blog para falar de um assunto específico – por exemplo, pessoas da terceira idade que desejam viajar. Como o próprio nome indica, o público é pequeno, porém bastante engajado.

Você deve postar conteúdo de qualidade e relacionado – neste exemplo, podemos falar de benefícios com passagens, regras de gratuidade, acessibilidade em diversas capitais e vários aspectos relacionados a viagens – vistos, passaporte, cuidados na viagem e no destino e outros temas.

Os ganhos financeiros são diversificados e interessantes: vender espaço para publicidade de produtos ligados aos assuntos, vender os artigos patrocinados e cadastrar-se no Google Adsense e receber por cliques nos anúncios.

Além disto, vender produtos afiliados físicos e digitais, promovendo-os no seu blog. É um universo de possibilidades, principalmente gerando informação que dê autoridade ao seu blog.

 

Pontos de atenção para investir nestes negócios

  • Desenvolva um blog com identidade visual que atrai o público-alvo desejado e conteúdo relevante (e otimizado em SEO).
  • Aposte nas redes sociais que tenham afinidade com o assunto – uma consultoria tributária certamente não deve investir em Instagram.
  • Invista em SEO para definir com clareza e acerto as estratégias corretas para alcançar o público desejado (especialmente no blog de nicho), fideliza-lo e converter o tráfego em vendas.

 

Descubra tudo sobre ganhar dinheiro neste artigo.